• Marcos Nogueira

Cerveja boa e barata na balada. Pode, Arnaldo?


Sou do tempo em que balada só tinha cerveja ruim, quente e cara. Você simplesmente se conformava com isso. Ou então gastava mais dinheiro ainda com destilados falsificados, ressaca monstruosa garantida na manhã seguinte. Para não parecer tão velho assim, estive mais ou menos recentemente (meio a contragosto) em casas noturnas para constatar que a temperatura melhorou, a qualidade continua a mesma e o preço ficou mais medonho ainda.

Por isso achei o máximo que o Beco 203 de São Paulo tenha passado a oferecer cervejas artesanais – melhor ainda, chope artesanal – a preço mais do que justo para seus clientes. Tudo bem que isso só é possível devido ao fato de que o dono da balada, o gaúcho Vitor Lucas, também tem a cervejaria Mea Culpa, em Cotia (SP). Mas a garganta e o bolso do frequentador da casa não tem nada a ver com isso.

Em todas as quintas-feiras de julho, o Beco promove a festa LUV Beer. Começa cedinho – 19h – e dá a oportunidade de beber um pint inteiro (copão de 568 ml) de seis ótimas cervejas por preços que vão de R$ 10 (pilsen, golden ale e american golden ale) a R$ 15 (double IPA). Nas noites normais, o preço é o mesmo, mas a dose é um pouco menos bem-servida: 400 ml. Fui lá na semana passada e curti de montão. Se o som fosse um pouquinho mais baixo, para poder conversar, seria melhor ainda. Mas não dê ouvidos às lamúrias deste tiozão rabugento.

LUV Beer

Onde: Beco 203 – Rua Augusta, 609

Quando: 14, 21 e 28 de julho, a partir das 19h

Posts recentes